• July 2014
    M T W T F S S
    « Jun   Aug »
     123456
    78910111213
    14151617181920
    21222324252627
    28293031  
  • Pages

  • Marginalia

  • Accumulations

Unasul ⊆ Brics Bank | Emir Sader

brics

Source: Viomundo

Author: Emir Sader, a prolific leftist journalist, Forum Social organizer and editor of the (huge!) left-leaning South American Encyclopedia 

The encounter of the BRICS nations and Unasul is the single most important accomplishment since the Cold War.

Sociologist Emir Sader says that the situation of nations at the center of capitalism — the EU and the USA – are opposed to the model of development with integration.

I translate a passage while waiting for waiting for a Pagerank algorithm to come to an end.

São Paulo – The meeting of heads of state of the BRICS in Fortaleza, including a sit-down with Unasul — Union of South American Nations —  members in Brasília, are the most important geopolitical event since the end of the Cold War. “This week will go down in history,” Sader said in his commentary today for Rádio Brasil Atual.

“I would call it a sort of Bretton Woods of the global South, when the capitalist great powers established the IMF in order to control the global monetary system. ,” said Sader. The political scientist believes the USA and EU, core nations of capitalism, are swimming against the tide of development with integration, which provided the BRICS meeting with a slogan for the BRICS meeting and the creation of the BRICS Bank.

“Se eu fosse tipificar o que faz a Europa hoje com sua política de austeridade, é exatamente contrário: recessão com exclusão de direitos. Então, são dois mundos completamente opostos.” Para Sader, a eleição do ex-primeiro-ministro de Luxemburgo,  Jean-Claude Juncker, como presidente da União Europeia, indica “claramente um contraponto” ao que fazem esses países e os Brics. Juncker é a favor do “paraíso fiscal” e é considerado um dos pais do programa de austeridade que provocou grande crise social na Grécia, em Portugal e na Espanha.

Segundo o sociólogo e colunista da RBA, a criação de bancos é um processo longo. “Um integrante da delegação chinesa disse que demoraria dois anos para o Banco dos Brics começar a funcionar”, ressalta, observando que não haveria ainda recursos disponíveis para ajudar a Argentina. O país tem duas semanas para se posicionar em relação à decisão judicial dos Estados Unidos que determinou que o pagamento da dívida com os credores que não participaram de acordo de renegociação.

“Apoio político ela tem, unanimemente. O problema é saber como se consegue brecar a decisão de um juiz que favorece 7%, quando 93% tinham aceitado a renegociação da dívida.” Sader aponta que é o mesmo mecanismo feito pelos Estados Unidos com países africanos. “É uma máfia que tem de ser quebrada”, afirma.

Unasul

Além da criação do Banco dos Brics, o bloco estabeleceu ontem (16) com a Unasul acordos políticos, como a defesa da presença de África e América do Sul no Conselho de Segurança da ONU. O presidente de Venezuela, Nicolás Maduro, propôs ainda que a Unasul crie um banco que tenha relações com o dos Brics. Sader considera o funcionamento da Unasul precário e que precisa se fortalecer para que a proposta seja viável.

On the other hand …