• December 2014
    M T W T F S S
    « Nov   Jan »
    1234567
    891011121314
    15161718192021
    22232425262728
    293031  
  • Pages

  • Marginalia

  • Accumulations

Mídia Global | O Pássaro-de-Cem-Linguas

operation-mockingbird-elite-daily

Depois de deixar o Washington Post em 1977, Carl Bernstein passou seis meses examinando os laços entre a CIA e a imprensa durante a Guerra Fria. Um artigo de 25,000 palavras apareceu na revista Rolling Stone no dia 20 de October, 1977.

Eu tinha a noçao de traduzir a matéria inteira para portugues, mas aguardo a permissão do autor. Outro assunto de interesse é a Operação Pássaro-de-cem-línguas (Mockingbird).

Seria interessante montar um site — talvez um wiki, nos moldes de SourceWatch — ajudando leitores cautelosos a entender as técnicas de desinformação e saber umas histórias exdrúxulas sobre elas.

Comecei com a nota seguinte:

Depois, divulgei

Carl Bernstein | Sobre CIA & Co.

Agora, imagine que estarmos em 1977.

Os Soviets, segundo a CIA, consistentamete levanta denuncias falsas de afilhação de jornalistas individuais como parte de um continuado jogo diplomatico que acompanha os altos e baixos das relações sovieto-americano.

A acusação mais recente foi uma denuncia (1977) contra Christopher Wren do New York Times and Alfred Friendly Jr., ex-Newsweek, que dizem que a denúncia não tem pé nem cabeça.

A CIA reconhece, no entanto, que tais acusações persistirão enquanto a agência continuar usando pessoal disfarçados de jornalistas e mantendo afiliações sigilosas com outros indivíduos da profissão.

Mas nem uma proibição absoluta contra o uso de jounalistas liberaria repórteres de suspeição, segundo muitos dentro da Agência. “Olha o Peace Corps,” disse uma fonte. “Não temos afiliação lá, mas mesmo assim, os governos ainda nos afastaram.

A história da relação entre a CIA e a imprensa americana continua sendo anublado por uma politica oficial e deliberado de obfuscação e decepção, que tem o raciocío seguinte:

■ O uso de jornalistas pela CIA tem sido entre os meios mais produtivos de colher informações. Embora a CIA cortou a estratégia bruscamente desde 1973 (principalmente por causa das objeções da mídia), alguns operadores-jornalistas continuam trabalhando no alem-mar.

■ Investigação do assunto, segundo officiais da CIA, revelariam uma série de relações embaraçosas nos anos 1950s e 1960s envolvendo algumas das organizações e individuos mais poderosos do jornalismo americano.

Hoje, vamos olhar o rol de integrantes das agências internacionais que mantinham uma relaçao com a CIA.

  1. American Broadcasting Company
  2. National Broadcasting Company
  3. Associated Press
  4. United Press International
  5. Reuters
  6. Hearst Newspapers
  7. Scripps‑Howard
  8. Newsweek
  9. Mutual Broadcasting SystemMiami Herald
  10. Saturday Evening Post
  11. New York Herald‑Tribune.

By far the most valuable of these associations, according to CIA officials, have been with the New York Times, CBS and Time Inc.

[ … ]

Hoje em dia, a grande preocupação é o uso de técnicas de propaganda para influênciar a opinião pública. Além do BBG e a VOA:

Outra organização aberta, o National Endowment for Democracy, foi criado em 1983. William Blum, autor e crítico da CIA e política estranheira, sugere que foi estabelecida para que a CIA podia continuar seu apoio a partidos políticos no estrangeiro.

A organização inclui quatro entidades, entre eles os partidários NDI — National Democratic Institute — e IRI — afiliado do Partido Republicano. Há razões porque propaganda eleitoral no Brazil está cada vez mais parecido com sites montados em outros partes do mundo. Trata-se de uma exportação geral do formato bicameral — Neves é azul e Dilma é vermelha, e apenas dois partidos dividem o mercado de votos.

Entre os ramos da NED achamos o CIMA e o CIPE.

A última lida com o setor empresarial  — é o Centro Internacional de Empreendimento Privado — mas o CIMA — o Centro Internacional Pelo Apoio de Mídia —  fica mais notável por, como nosso Wikipediano explica, o compromisso de apoiar uma mídia independente nos emergentes muitas vezes consiste em seções de trenamento de jornalistas no além-mar que pode não ter relevância ao dia a dia do novamente formado profissional.

Eu terei que reler o relatório seguinte, publicado em 2012:

Empowering Independent Media: U.S. Efforts to Foster a Free Press and an Open Internet Around the World — Second Edition: 2012 | Center for International Media Assistance.

Comentário meu sobre o mesmo:

livro_operação_satiagraha-capa

Advertisements